Imprensa Sindical por Val Gomes

x

Fale comigo

Preencha os campos abaixo e deixe sua mensagem

João Gilberto

Uma das histórias é que o genial João Gilberto (1931-2019), já com uma carreira musical em andamento, se isolou na Bahia durante um tempo para inventar definitivamente a batida revolucionária do violão Bossa-Nova.

Um ritmo síntese que com as vozes, harmonias, melodias e palavras do próprio João, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, e de toda uma nova e brilhante geração de músicos brasileiros, conquistou os Estados Unidos, influenciando até hoje músicos, cantores e cantoras de lá, tanto do jazz quanto do pop, e, a partir das Américas, o mundo todo.

Bob Dylan, ao responder certa vez que estava cantando melhor, citou que sim, mas “não ainda como um João Gilberto”.

Para ler sobre Bossa-Nova e João Gilberto há teses e pesquisas acadêmicas, inúmeros depoimentos, reportagens e entrevistas (creio que os textos com Caetano Veloso sejam os mais elucidativos) e publicações importantes como Chega de Saudade de Ruy Castro, o Balanço da Bossa de Augusto de Campos, O Cancionista de Luiz Tatit e Bim Bom de Walter Garcia, entre outros.

Para além das questões menores que envolveram as exigentes apresentações de João Gilberto e as fofocas de mídia, temos na sua discografia um universo de cultura, música e poesia que para sempre merece ser celebrado, com muito prazer de se ouvir.

São 11 discos de estúdio e 9 ao vivo, conforme diz o jornal O Globo:
https://oglobo.globo.com/cultura/conheca-discografia-de-joao-gilberto-23789633. E Chega de Saudade!

Val Gomes
jornalista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *